Info Equestre
Toxicologia Edição 5º Ano 2020

Intoxicação por Trema Micrantha em Equino

Intoxicação por Trema Micrantha em Equino 1
V.5, Ed.1, N.234 (2020)

INTOXICAÇÃO POR TREMA MICRANTHA EM EQUINOS

INTOXICATION BY TREMA MICRANTHA IN HORSES

PINHEIRO, G. F. a

a Discente de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre/RS – Brasil.

 

RESUMO: A Trema micrantha é uma planta arbórea amplamente distribuída no Brasil. Sua ingestão pode provocar sinais neurológicos e lesões hepáticas, que levam a intoxicação e em alguns casos morte do equino em alguns dias. Geralmente os cavalos se contaminam ao ingerir a planta após quedas das árvores depois de tempestades ou até mesmo poda sem remoção dos restos da planta do chão. A Trema micrantha é altamente palatável, ou seja, tem um gosto agradável para os animais e esse fator favorece sua ingestão.

Palavras-chave: planta tóxica, Trema micrantha, intoxicação, equinos.

ABSTRACT: Trema micrantha is an arboreal plant widely distributed in Brazil. Its ingestion can cause neurological signs and liver damage, which lead to intoxication and in some cases death of the horse in a few days. Usually horses are contaminated by ingesting the plant after falling from the trees after storms or even pruning without removing the plant’s remains from the ground. Trema micrantha is highly palatable, that is, it tastes pleasant to animals and this factor favors their ingestion.

Keywords: poisonous plant, Trema micrantha, intoxication, horses.

  1. INTRODUÇÃO

A Trema micrantha é uma espécie arbórea, ereta, perene, ramificada, possui copa larga e tem crescimento rápido podendo atingir até 15 metros de altura. Faz parte da família Cannabaceae, também é conhecida por Grandiúva, Pau-Pólvora ou Periquiteira (PAVARINI, 2011). Intoxicações por essa planta já foram descritas principalmente no sul do Brasil, não apenas em equinos, mas também em outras espécies. Além do Brasil, está presente em outros países da América.

O tronco ereto pode chegar a 40 cm de diâmetro, possui casca inteira ou levemente fissurada, madeira mole e pouco resistente. As folhas chegam a 5 cm de largura e 12 cm de comprimento. Floresce e frutifica em várias épocas, mas especialmente no início do ano (BANDARRA, 2010).

É uma planta é altamente palatável, esse fator favorece sua ingestão e são consumidas por herbívoros, principalmente quando há escassez de alimentos, fome ou quando galhos caem no chão. As quedas ocorrem devido à ventos, tempestades ou poda das árvores, deixando os animais com fácil acesso para consumo da planta. Segundo WOUTERS (2013), esta planta tem sido utilizada em reflorestamento sistemas, especialmente para a recuperação de solos degradados.

Intoxicação por Trema Micrantha em Equino 11
Figura 1 – Trema micrantha em crescimento
Fonte: BANDARRA (2010).
Intoxicação por Trema Micrantha em Equino 12
Figura 2 – Galho de Trema micrantha com frutos e folhas
Fonte: BANDARRA (2010).
  1. SINAIS CLÍNICOS

De acordo com PAVARINI (2011), os sinais clínicos apresentados na intoxicação geralmente são alterações neurológicas, que se apresentam três a quatro dias após o consumo da planta, com curso clínico de dois a quatro dias, reduzidas por eutanásia.

No estudo de LORENZETT (2017), alguns dias antes do início dos sinais clínicos, todos os cavalos consumiram espontaneamente doses potencialmente tóxicas de folhas de Trema micrantha que estavam à disposição para os animais após a poda ou queda de galhos com folhas verdes ou consumo direto de partes baixas de árvores jovens devido à falta de alimento.

Os sinais apresentados também foram neurológicos, nesse caso: ataxia, sialorreia grave, movimentos involuntários de corrida, decúbito esternal e lateral e a maioria dos animais morreram após um curso clínico de 24 horas a 4 dias de duração, enquanto um dos cavalos teve 9 dias de sinais clínicos.

Segundo BANDARRA (2010), ocorreu um caso de uma égua e seu potro onde os sinais clínicos foram déficit locomotor, apatia, decúbito lateral, remo, tônico intermitente contrações dos músculos locomotores e do pescoço e coma. A égua morreu 48 horas após o início dos sinais clínicos, o potro ficou cego e permaneceu deitado e inconsciente por 8 dias e foi realizada eutanásia.

  1. PATOLOGIA

O princípio ativo da Trema micrantha ainda é desconhecido. Os principais achados patológicos causados por Trema micrantha são alterações no fígado, observadas na necropsia, que estavam levemente aumentados e com padrão lobular evidente e no sistema nervoso central (SNC), com múltiplas áreas amareladas, focos de malácia e hemorragia, principalmente, no tronco cerebral e cerebelo (PAVARINI, 2011).

Na necropsia pode-se encontrar o cérebro difusamente amarelo com focos friáveis ​​multifocais a coalescentes acinzentados a vermelho-escuros, lesões mais graves na ponte, lesões da medula espinhal, alterações hepáticas (LORENZETT, 2017).

Segundo BANDARRA (2010), observa-se necrose de coagulação no fígado, predominantemente centrolobular acentuada com picnose, cariólise, cariorrexia, aumento da eosinofilia citoplasmática, corpúsculos apoptóticos e vacuolização de hepatócitos adjacentes, na intoxicação.

  1. CONCLUSÃO

A intoxicação por Trema micrantha normalmente é acidental, pode causar sinais neurológicos e desencadear lesões hepáticas. Essa planta é altamente palatável, associada à alta sensibilidade dos equinos e a ampla distribuição da planta demonstra a importância de Trema micrantha como causa de intoxicações em equinos. O melhor método de controle é evitar o acesso de equinos a áreas com esta planta, principalmente após queda ou poda de árvores que facilita a alimentação.

REFERÊNCIAS

BANDARRA, P. M. Intoxicação por Trema micrantha (Cannabacaae) em Equinos. Tese (Mestrado) – Faculdade de Veterinária – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2010.

BANDARRA, P.M. et. al. Trema micrantha toxicity in horses in Brazil. Equine Veterinary Journal 42: 456-459. 2010.

BANDARRA, P. M. et. al. Intoxicação experimental por Trema micrantha (Cannabaceae) em equinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 31: 991-996. 2011.

LORENZETT, M. P. et. al. Neurotoxicosis in horses associated with consumption of Trema micrantha. Equine Veterinary Journal ISSN 0425-1644. 2017.

PAVARINI, S. P. et. al. Novos aspectos sobre a intoxicação por Trema micrantha

(Cannabaceae) em equídeos. Pesquisa Veterinária Brasileira 11, 1339-1344. 2013.

WOUTERS, F. et. al. Pneumotoxicosis in sheep caused by ingestion of Trema micrantha. Veterinary Pathology 50, 775-778. 2013.

Posts relacionados

Criptorquismo em Equinos

Redação InfoEquestre

Anatomia do Sistema Apendicular dos Equinos – Osteologia

Redação InfoEquestre

Síndrome Metabólica Equina

Redação InfoEquestre

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!

ASSINE AGORA

O maior portal técnico Equestre com + de 600 conteúdos disponível com publicações diárias.

Congresso
100% ONLINE
100% Idealizado pela InfoEquestre