Info Equestre
Notícias

Expoagro Jacareí 2019 – Exemplo de bem estar animal!

Expoagro Jacareí 2019 - Exemplo de bem estar animal! 1
Os esportes envolvendo animais são praticados pela humanidade há muitos séculos. Na Grécia antiga eram bem comuns as corridas de veículos semelhantes a carruagens simples puxadas por cavalos. Essas disputas foram firmadas entre gregos e romanos, sendo inclusive esporte integrante das primeiras olimpíadas de que se têm notícia.

Ao longo dos anos, os esportes com animais foram se modificando e se modelando aos que são praticados nos dias atuais, e dentre eles, o rodeio.

No Brasil, o rodeio é reconhecido como expressão cultural e é amplamente praticado, principalmente nas regiões mais interiores e rurais do país, tendo o animal como destaque e principal elemento do esporte.

É justamente por essa condição relacionada aos animais que o rodeio vem sendo palco de grandes polêmicas nos últimos anos. Se o animal é a peça chave do evento, por que sofre maus tratos, ou melhor: onde o bem-estar animal se enquadra e ganha seu espaço dentro do rodeio?

Fisiologicamente, um animal atleta precisa estar com ótimo escore corporal e receber treinamento adequado para que o exercício desejado seja feito com excelência. Além disso, esse evento deve seguir uma série de normas e legislações federais, estaduais, municipais e até mesmo da confederação internacional.

Dentre as normas, destaca-se que o polêmico sedém – espécie de corda atada á virilha do touro e longe da região escrotal que tem por objetivo causar sensação semelhante a cócegas no animal, condicionando-o a pular – deve ser fabricado em tecidos não agressivos ao couro bovino, como por exemplo, algodão, seda e lã.

Para assegurar que todas as normas relacionadas ao bem-estar animal estão sendo cumpridas, inclusive as da confederação internacional, há sempre o Médico Veterinário e um corpo de juízes que integram a comitiva dos bastidores da festa, desclassificando qualquer animal que não esteja em condições de praticar o esporte na arena ou qualquer peão que utilize esporas cortantes ou materiais que ponham em risco a saúde animal, bem como relatam qualquer indício considerado como maus tratos definido em norma do Conselho Federal de Medicina Veterinária para que haja devida punição do responsável.

Além disso, de forma não obrigatória, o evento ainda pode convocar uma comissão montada especialmente para fiscalizar e garantir o bem estar animal, relatando irregularidades e impedindo maus tratos observados na hora do ato.  Esse foi o caso do Jacareí Expoagro 2019.

Nos dias em que havia provas envolvendo animais e rodeio, esteve presente uma comissão mista dedicada exclusivamente ao bem-estar animal, com os seguintes integrantes: Marina Bernes dos Santos (protetora independente), Fernanda Evangelista de Sousa (protetora independente), Joelma Prilips (protetora independente),Simone Guedes Leite (presidente da Associação Protetora dos Animais – APA), Hugo Garcia da Silveira (Médico Veterinário) e Isabella Isis Rodrigues Viana (graduanda em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Lavras).

Durante os quatro dias de provas, ocorridos do dia 18/07/2019 ao dia 21/07/2019, a comissão ficou durante todo o tempo em que os animais eram utilizados, verificando até o último animal utilizado em busca de lesões infligidas antes ou depois das provas, checando todos os materiais usados e acompanhando de perto o manejo na intenção de vetar quaisquer maus tratos.

Houve constatação de manejo inadequado no primeiro dia do evento, porém o ato não foi praticado por ninguém da organização, sendo realizado por um participante do público da festa que invadiu a ala dos bastidores.

A comissão de bem-estar animal notificou a presidência do evento e a segurança foi reforçada nos próximos dias. Por parte do corpo organizador do rodeio, a comissão foi muito bem recebida e teve seu espaço de fala e críticas bem estabelecido, com reuniões envolvendo os responsáveis pelo manejo e todos os peões competidores.

Nenhum ato de maus tratos foi constatado pela comissão fora o episódio do primeiro dia, o que foi escrito em relatório com testemunha de todos os presentes.

O evento ainda contava com representantes da OAB para garantir as leis do rodeio, o qual todos os envolvidos na comissão e organização aguardam relatório final.

Com essas informações, voltamos à questão inicial: há maus tratos aos animais? Todo rodeio acontece dessa maneira? Em rodeios bem estabelecidos e dentro da legislação como o Expoagro Jacareí 2019, foi constatado que não há prática de maus tratos.

Porém, infelizmente, esse quadro não se aplica em todos os rodeios. Por estar tão forte na tradição cultural do país, ainda existem muitos rodeios clandestinos sem qualquer fiscalização que devem receber a devida atenção por parte das autoridades.

Esses eventos não possuem qualquer garantia de que o bem-estar animal é respeitado e é daí que surge toda a polêmica e imagens de animais feridos e lesionados que estamos acostumados a ver como contra argumento quando o assunto é a proibição ou não dos rodeios.

E então? O rodeio deve ser proibido? Com toda certeza o rodeio clandestino tem que ser impedido em todo o país o mais rápido possível.

Porém, um evento bem regulamentado garante a expressão cultural de todo um povo, além de contribuir para a história de vida de todas as pessoas envolvidas, inclusive os peões. Muitas dessas pessoas sustentam sua família e possuem sua história entrelaçada com a do rodeio.

Os animais fazem parte da vida das pessoas desde a infância, que crescem no meio rural e cultivam desde cedo seu amor por eles.

O que mais impressionou na Expoagro de Jacareí em 2019? Certamente a organização e o comprometimento com o bem-estar animal na tentativa de quebrar preconceitos infundados baseados em acontecimentos de rodeios clandestinos.

A comissão de bem-estar foi muito bem recebida e teve acesso livre a todos os lugares do evento, podendo se deslocar aonde quer que os animais estivessem. O carinho com os touros, a paciência exercida pela equipe de manejo e seriedade são modelo para outros rodeios pelo país. Citando um dos peões da festa: “O touro não é meu inimigo. Eu preciso de um bom touro para chegar onde quero. Eu amo esses animais”.

A falta de informação infelizmente muitas vezes tenta prejudicar uma festa como essa, e é por isso que esta discussão é tão importante. Todos devem trabalhar juntos pelo bem-estar e saúde dos animais, inclusive o rodeio!

Clique e baixe os relatórios e a notificação na integra.

 

Relatório dos membros da proteção animal

Relatório do Médico Veterinário

notificação do indicio de maus tratos do primeiro dia

*Aguardando o laudo da OAB para ser anexado

 

Texto por: Redação Info Equestre

REFERÊNCIAS

LEIRA, Matheus Hernandes et al. A origem do rodeio no Brasil sua prática como esporte radical e o bem-estar dos animais de montaria. PUBVET, v. 11, p. 207-312, 2016.

Posts relacionados

Botas, Ligas e Acessórios de membros nos equinos, para que servem?

hugo garcia da silveira 16996446886

Os cavalos podem sentir o cheiro do medo?

Redação InfoEquestre

Por quê o controle de moscas é crítico para a saúde equina?

hugo garcia da silveira 16996446886

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!