Info Equestre
Notícias

Imprinting training, doma racional de potros

Imprinting training, doma racional de potros 1

Imprinting training, doma racional de potros

Os equinos são animais que, no processo de domesticação, passam pela fase de doma, atualmente dividida em duas vertentes: doma tradicional e doma racional.

A doma tradicional consiste em ensinar os comandos para o animal por meio da violência e do cansaço, porém o ser humano observou a necessidade de adequar as condições de criação à natureza comportamental dos cavalos, surgindo os princípios de doma racional e o imprinting training (PINTO, 2013).

O imprinting é o instinto animal, após o nascimento, de seguir a mãe ou qualquer objeto que se movimente, foi descrito pela primeira vez por Konrad Lorenz, considerado o pioneiro em estudos sobre o comportamento animal.

O trabalho de Lorenz demonstrou que existe um tempo restrito após o nascimento dos filhotes para que o imprinting se realize com eficácia pela mãe, ser humano ou até mesmo objetos. Na natureza, o imprinting é de suma importância, pois trata-se do reconhecimento mútuo entre os pais e a prole, fator de extrema importância caso ocorra alguma situação ameaçadora, pois os pais irão garantir a proteção do filhote (CARDOSO et al., 2001).

Na área de equinos o termo imprinting training foi desenvolvido pelo médico veterinário Robert Miller na década de 90. É uma técnica que consiste em manusear o potro desde o momento do nascimento, antes mesmo de ele dar a primeira mamada na égua, fazendo a desinfecção umbilical e o reconhecimento materno em decúbito lateral, acariciando todo o corpo do potrinho, com isso o animal entende que o ser humano não representa um perigo a ele e não desenvolve o medo (FILHO et al., 2009; HOYOS-PATIÑO, 2016).

O primeiro passo do treinamento é que o potro aceite a manipulação do ser humano, para isso, o animal deve se sentir relaxado. Inicialmente deve-se dessensibilizar todo o corpo do potrinho a partir da cabeça para as extremidades.

É importante que a égua permaneça junto a cria, esta sessão de treinamento pode durar de 45 minutos a uma hora. O segundo passo é a familiarização do potro com os estímulos ambientais. O primeiro passo é repetido, e acrescenta a manipulação com um pano, bolsa plástica, escova ou almofada, para que o animal se acostume com objetos que, para ele até então são estranhos (HOYOS-PATIÑO, 2016).

Na terceira sessão coloca o cabresto e introduz comandos de voz para que o animal aprenda a ser guiado. Estas manipulações devem durar em média 30 dias, o animal deve ser acostumado com sons que farão parte de sua vida como o barulho de carros e de aplausos, caso o animal seja destinado a competições. Após os 30 dias o potro é solto e só volta para o processo de doma aos dois anos e meio, quando já tem uma formação óssea que aguenta o peso de um cavaleiro.

De acordo com Miller, o potro não esquecerá essa experiência dos primeiros dias de vida, facilitando a doma quando for mais velho (PUOLLI FILHO et al., 2009; GIRARDI, 2014).

Manejar o potro nos primeiros dias de vida rende benefícios duradouros, o animal cresce entendendo que o ser humano não é uma ameaça, tornando esta relação positiva no momento da doma. Um dos problemas encontrados está relacionado com falta de pessoas capacitadas, mão de obra e tempo dos criadores para realizar o imprinting training.

   Então antes de assistir o vídeo vamos recapitular:

IMPRINTING é uma técnica que parte do princípio de que logo ao nascer, o potro não conhece o mundo em que vivemos, e ainda não desenvolveu seus medos e instinto de fuga. Na verdade, quem vai ensinar ao potro o instinto de sobrevivência e o instinto de fuga é a égua. Potros aprendem muito rápido imitando a mãe, repetindo cada gesto que ela faz, segundo dados esse aprendizado acontece nas duas primeiras horas de vida.

Conceito de Imprinting
Esta técnica que resume-se ao seguinte: se logo ao nascer, você pega o potro no colo, antes mesmo de ele dar a primeira mamada na égua, e começa a manuseá-lo, mexendo nas orelhas, focinho, boca, patas, alisando e passando a sua mão por todo o corpo do potro neonato, ele irá aprender que o ser humano não representa um perigo a ele, e não desenvolve o medo.

Esta técnica deve ser repetida durante 30 dias, em sessões de 15 a 20 minutos, e depois o potro pode ser solto no pasto junto com a égua para crescer e se desenvolver.

Segundo os estudos e pesquisas, todos os potros que foram submetidos a esta técnica, ao completarem 2 anos e chegarem na idade da doma, tornaram-se potros dóceis e fáceis de serem domados e ensinados, pois já não tinham o fator medo do ser humano como um complicador a ser vencido no processo da doma.

Imprinting Training

Uma técnica utilizada para domar o potro com 1 dia de vida ! Confira no vídeo e clique no link abaixo e entenda mais sobre a tecnica em uma matéria completa como se aplica a técnica de Imprinting. Matéria na Integra: http://informativoequestre.com.br/imprinting-training-doma-racional-de-potros/

Posted by Informativo Equestre on Saturday, September 30, 2017

Neste vídeo o proprietário o Sr Bento do Rancho São Miguel mostra detalhadamente como se baseia o processo de Imprinting em seu Burrinho que é filho do Jumento Tenório e de uma Eguá Mangalarga Pompéia PROV.

OBS: Falar para o resposavel que faz a cura do Umbigo fazer o uso de uma Luva de Procedimento. #ficaadica

Nós da Informativo Equestre parabenizamos ao Sr Bento pelo belo vídeo demonstrativo e pelo lindo burrinho que veio a este mundo ja dócil e sem medo do ser humano.
Fonte: Doma do Cavalo.
Imagens:Rancho São Miguel
Informativo Equestre o Melhor conteúdo!

  

Texto por: Tainara Luana da Silva Soares, 7°, Centro Universitário de Patos de Minas, Patos de Minas.
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
CARDOSO, S.H.; SABBATINI, R.M.E. Aprendendo quem é a sua mãe. 2011. Disponível em: http://www.cerebromente.org.br/n14/experimento/lorenz/index-lorenz_p.html. Acesso em: 04/07/2017.
PUOLI FILHO, J.N.P.; BRANDI, R.A.; OLIVEIRA, R.A.R.; CHIQUITELLI NETO, M..; MARSON, F.L.; SOUZA, T.O. Imprinting training mito ou verdade. V Simpósio de Ciências da UNESP – Dracena. VI Encontro de Zootecnia – UNESP Dracena. Dracena, 2009.
GIRARDI, A. O encantador de cavalos. Unesp Ciência, Botucatu, 2014.
HOYOS-PATIÑO, J. F. Evaluación comparativa de laaplicacióndel imprinting en potros criollos colombianos. Fagropec-Facultad de CienciasAgropecuarias, v. 8, n. 2, p. 62-67, 2016.
PINTO, A.P.S. Criação e manejo de potros. 2013. 26f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Zootecnia)- Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.
SCHMIDEK, A.; OLIVEIRA, J. V.; MIGUEL, F. B. Influência da manipulação de potros ao nascimento sobre o comportamento ao cabrestear. APTA Pesquisa & Tecnologia, v. 8, n. 56, 2011.

Posts relacionados

Botas, Ligas e Acessórios de membros nos equinos, para que servem?

hugo garcia da silveira 16996446886

Por quê o controle de moscas é crítico para a saúde equina?

hugo garcia da silveira 16996446886

Síndrome do potro sem pelos da Ásia Central

Redação InfoEquestre

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!