Info Equestre
Notícias

Nutracêuticos para Equinos – Revolução dos vegetais em forma de suplementos

Nutracêuticos para Equinos

NUTRACÊUTICOS

Nutracêuticos para Equinos - Revolução dos vegetais em forma de suplementos 4
Os nutracêuticos são conhecidos na atualidade como suplementos dietários que fornecem de forma concentrada compostos bioativos a um alimento. Os agentes nutracêuticos assim como os alimentos funcionais e também os suplementos dietários podem possibilitar melhorias em tratamento e prevenção de doenças de várias espécies animais, assim como aumento no desempenho atlético, principalmente na espécie equina.

O termo nutracêutico foi criado em 1989 nos Estados Unidos pela Fundation for Innovation in Medicine, combinando duas palavras: nutriente e farmacêutico. Conceituou-se o termo como sendo um produto contendo características tanto de um alimento como de um fármaco (QUEIROZ NETO et al., 2012).

Existem vários produtos nutracêuticos disponíveis no mercado que podem ser utilizados na medicina veterinária, principalmente na prevenção de doenças comumente vistas na rotina clínica como osteoartrites, problemas periodontais, cardiovasculares e câncer (KOPPINEN, 1999).

A Dimetilglinica, um composto derivado do aminoácido glicina é uma substância intermediária normal no metabolismo de colina. Alguns estudos realizados em seres humanos demonstraram que essa substância administrada oralmente pode agir como estimulante do sistema imune.

É um dos nutracêuticos mais pesquisados em equinos, e de acordo com algumas pesquisas, pode reduzir o lactato sanguíneo, aumentando a utilização de oxigênio (QUEIROZ NETO et al., 2012).

Nos casos de osteoartrite, pode ser realizada de forma auxiliar, a suplementação oral com glucosamina e condroitina, que consiste na associação nutracêutica mais recomendada nesses casos. Um fator importante no efeito terapêutico positivo é a biodisponibilidade assim como a qualidade do produto utilizado, sendo recomendado o uso de glucosamina e produtos de condroitina de baixo peso molecular (MILLIS & LEVINE, 2014).

Apesar de existirem poucas pesquisas sobre os efeitos benéficos dos nutracêuticos em medicina veterinária, existem alguns dados de estudos referentes a humanos. Por esse motivo o valor dos produtos se torna mais atrativo para o uso em animais, quando comparado aos custos de produtos específicos para medicina veterinária, no entanto exige do profissional médico veterinário, reconhecer e utilizar os produtos de forma adequada sempre buscando melhores resultados no tratamento dos pacientes.

REFERÊNCIAS
KOPPINEN, J. Nutraceuticals in veterinary medicine. Autralian Veterinary Journal, v.77, n.4, p. 238-239, 1999.
MILLIS, D.; LEVINE, D. Canine rehabilitation and physical therapy. Filadélfia. 2014. 2 ed. p.784.
QUEIROZ NETO, A.; D’ANGELIS F. H. F.; DI STASI, L. C. Farmacologia Veterinária: Nutracêuticos e substâncias ergogênicas. 2012. p. 548-563.

Posts relacionados

Entendendo o Comportamento Equino

Redação InfoEquestre

Por que os cavalos precisam de dentista?

Redação InfoEquestre

Periostite e Exostose

Redação InfoEquestre

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!