Info Equestre
Notícias

Noções básicas de prevenção de laminite equina

Noções básicas de prevenção de laminite equina

Noções básicas de prevenção de laminite equina

 

A laminite consiste na inflamação dos tecidos moles (lâminas sensíveis) no casco, causando uma dor excruciante no cavalo. Em casos graves, as lâminas sensíveis enfraquecem a ponto de não poderem suportar o osso de dentro do casco – falange distal, que afunda ou rotaciona, afastando-se do interior da parede do casco em direção a sola. Nesses casos graves, esse dano pode ser de difícil resolução e o cavalo pode ficar comum processo de laminite crônica. Nos piores casos, a eutanásia pode ser a única opção humana.

Existem duas formas de laminite: um episódio agudo que ocorre rapidamente e pode responder a um tratamento intensivo apropriado e a forma crônica que consiste em uma condição persistente e de longo prazo que pode ser difícil de tratar. Para proteger seu cavalo de qualquer um dos tipos desta doença devastadora, identifique os fatores de  risco, tome as medidas preventivas adequadas e esteja pronto para responder caso observe sinais precoces da doença.

Fatores de risco comuns para laminite

Qualquer cavalo pode desenvolver laminite se exagerar o consumo de grãos, mas mesmo porções pequenas ou normais de amidos e açúcares podem desencadear a doença em cavalos de saúde e/ou histórico suscetíveis ao distúrbio. Vários fatores colocam os cavalos em maior risco de laminite, como os citados a seguir.

-A Síndrome metabólica equina (EMS) é o termo usado para uma coleção de sinais que geralmente inclui obesidade, resistência à insulina e infertilidade. Cavalos com esta patologia tendem a ganhar peso facilmente e é provável que tenham depósitos visíveis de gordura na crista do pescoço, acima da cauda e atrás do ombro. Esta condição é gerenciada principalmente por meio de dieta e exercício.

-A Doença de Cushing é mais comumente caracterizada por um pelo longo que demora a cair na primavera, sudorese excessiva, letargia, aumento da sede e micção e maior suscetibilidade a infecções. Esta patologia pode ser controlado com o medicamento, gerenciamento da dieta e do exercício.

-Lesões graves ou doenças sistêmicas, como pleuropneumonia ou febre do cavalo Potomac, colocam os cavalos em risco de laminite como uma complicação secundária.

-Estresses nos cascos ou em um único membro podem danificar as lâminas do casco, levando à laminite mecânica, mesmo se um cavalo não estiver em risco de sofrer a doença. Por exemplo, a concussão produzida pelo trabalho rápido em terreno extremamente duro pode causar laminite, assim como as tensões colocadas no casco por desequilíbrios persistentes. Da mesma forma, uma lesão ortopédica grave que força um cavalo a suportar mais peso do que o habitual em um membro específico aumenta o risco de laminite – isso é conhecido como laminite de membro oposto.

-Pôneis, certas raças e certas linhagens são mais propensas a desenvolver condições como doença de cushing e EMS que as tornam mais suscetíveis à laminite.

Noções básicas de prevenção de laminite equina 1

Estratégias de gerenciamento para reduzir o risco de laminite

1.Pastoreio. Alguns cavalos podem comer grandes quantidades de grama nova sem problemas, mas outros podem desenvolver laminite depois de comer apenas pequenas quantidades de grama exuberante.

A maior parte dos casos de laminite é causada quando os cavalos pastam demais em pastagens ricas, principalmente na primavera e no outono, quando a grama pode ter alto teor de açúcar. É necessário um diálogo com seu veterinário sobre o risco do seu cavalo; sendo por vezes necessário limitar o acesso dele a pastagens exuberantes, ou movê-lo temporariamente para um terreno seco.

  1. Dieta. Reduza os açúcares e amidos na dieta de cavalos que tiveram laminite, são resistentes à insulina ou estão em risco. Atualmente, muitos alimentos com baixo teor de açúcar estão disponíveis como substitutos de alimentos doces que contêm melaço ou outros açúcares. De fato, muitas empresas de ração oferecem produtos especificamente formulados para a prevenção de laminite. E não esqueça que algumas guloseimas podem ter alto teor de açúcar: para cavalos em risco, use pequenas quantidades de fatias de cenoura ou amendoim na casca.
  2. Cuidados com os cascos. Cascos cobertos de vegetação e desequilibrados podem desenvolver laminite mecânica. E, se ocorrer laminite, os cascos negligenciados são mais propensos a ocorrer afundamento e rotacionamento de falange distal do que os cascos saudáveis ​​e equilibrados. Mantenha seu cavalo com o ferrageamento em dia – a cada seis a oito semanas.
  3. Manutenção de peso. A relação entre obesidade, disfunção metabólica e laminite não é totalmente compreendida, mas uma coisa é clara: cavalos com sobrepeso são muito mais propensos a desenvolver laminite do que aqueles com peso ideal. Avalie periodicamente a condição corporal do seu cavalo – e, se ele começar a ganhar excesso de peso, elabore uma dieta e um plano de exercícios para resolver o problema.

 

Sinais de laminite

Em caso de presença dos sinais clínicos citados abaixo, ligue para o seu veterinário imediatamente, relate todas as alterações que foram percebidas e explique que é uma emergência:

  • cavalo relutante em se mover; Ele pode trocar de apoio nas mãos ou pés, ou ele pode se inclinar para trás com as patas dianteiras abertas na frente dele. Em alguns casos, ele pode ficar com os quatro pés puxados para baixo do cano.
  • Ele se deita e reluta em se levantar;
  • animal mostra evidências de dor, que podem incluir sudorese, respiração superficial e batimento cardíaco acelerado;
  • Os cascos afetados ficam com temperatura elevada;
  • Você sente um pulso mais forte que o fisiológico na parte traseira do metacarpo nos membros afetados. Pode ser difícil localizar esse pulso em um cavalo saudável, mas se torna mais proeminente logo acima ou logo abaixo da articulação quando um cavalo tem laminite.

 

O que fazer se você suspeitar de laminite

Enquanto você espera pelo seu veterinário, você pode tomar medidas para interromper o progresso da laminite e prepare o cenário para o tratamento e a recuperação do seu cavalo:

  • Gelo nos pés afetados. Pesquisas apontam que colocar os pés do cavalo no gelo ao mais cedo sinal de problemas reduz a gravidade da laminite. Esse tratamento pode até evitar a doença completamente se, por exemplo, seu cavalo invadir o depósito de grãos e você suspeitar que a laminite possa vir a se desenvolver.
  • Mantenha o cavalo parado. Evite andar com um cavalo com laminite, porque o estresse nos pés pode danificar as lâminas enfraquecidas. Se ele realmente não puder ser deixado onde você o encontrou até que o veterinário chegue, escolha a rota mais curta sobre o pé mais macio possível, sendo preferível fazer uso de um reboque para levar o animal até o local do atendimento.
  • Afira os sinais vitais do cavalo. Uma febre pode indicar que seu cavalo tem uma doença concomitantemente que você não havia notado, e dados como o pulso e a frequência da respiração oferecem informações sobre a gravidade de sua dor. Faça anotações de suas descobertas e o tempo em que as registrou para compartilhar com seu veterinário.

 

Este artigo foi publicado originalmente por Laurie Bonner na edição de abril de 2016, Volume # 475 da revista EQUUS.

Tradução e adaptação: Maria Inês Frank, 7º semestre do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM.

 

Posts relacionados

A ética e o veterinário

Redação InfoEquestre

Você Realmente Conhece os Benefícios da Doma Natural na Vida de um Equino?

Diferenças entre Abre Boca Equino com Cremalheira e Dente de Aço

hugo garcia da silveira 16996446886

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!