Info Equestre
Notícias

Patologias Associadas ao sistema Reprodutor Feminino e Masculino

Patologias Associadas ao sistema Reprodutor Feminino e Masculino 1

PATOLOGIAS ASSOCIADAS AO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO E MASCULINO

 

 

MACHO

 

Criptorquidismo

A descida dos testículos se dá pela migração desde o abdome até o anel inguinal e, finalmente, migração para dentro do escroto

Criptorquidismo é uma patologia reprodutiva mais frequente em equinos, caracterizada pela não descidua de um ou ambos testículos. O testículo criptorquida pode estar localizado na cavidade abdominal ou no canal inguinal

Acredita-se que genes dominantes estejam envolvidos em casos de criptorquidismo

Normalmente potros nascem com os testículos na bolsa escrotal, porém quando isso não ocorre, eles se tornam animais predispostos podendo ser considerados futuramente criptorquidas abdominais. Além disso, o estreitamento e fibrose do anel inguinal predispõe a afecção

Criptorquidas bilaterais são estéreis devido a supressão da espermatogênese, enquanto que os unilaterais apresentam espermatogênese normal, porém com uma concentração espermática menor, sendo geralmente férteis

Animais Criptorquidas não devem ser empregado na reprodução porque a característica pode ser transmitida para seus descendentes.

O diagnóstico é baseado na anamnese, inspeção, palpação da genitália externa, determinando a ausência de um ou ambos testículos. Exames complementares como a ultrassonografia, determina a localização do testículo retido que nos permite verificar se são criptorquidas abdominal ou inguinal

O tratamento da afecção é cirúrgico pela remoção do testículo criptorquida e do testículo escrotal

 

Parafimose

É incapacidade em recolher o pênis para a cavidade prepucial, podendo causar congestão, balarite e necrose do pênis. É uma afecção adquirida estando relacionada a traumas, paralisias nervosas e características anatômicas do prepúcio, uso de acepromazina.

O pênis pendente entre as pernas fica edemaciado e inflamado, impedindo a passagem da urina pela uretra, causando dificuldade na micção do animal.

O diagnóstico baseia-se na visualização da exteriorização flácida do pênis

O tratamento cirúrgico apresenta-se como melhor opção, sendo a técnica de ampliação do óstio prepucial ou a amputação parcial do pênis as mais preconizadas.

Hérnia inguino-escrotal

Definida pelo deslocamento da porção final do jejuno ou leo pelo canal inguinal, podendo estender-se ate o escroto.

Pode ocorrer ao nascimento ou após meses de vida, porem também acomete animais adultos após a copula, exercício ou traumas.

Sinais clinicos como dor aguda e intensa, aumento de volume em um ou ambos os lados da bolsa escrotal, com diminuição da temperatura local

O diagnostico é realizado pela podem ser por palpação direta, palpação transretal e ultrassonografia da bolsa testicular.

O tratamento é cirúrgico, sendo realizado uma laparatomia

 

FÊMEA

 

Endometrite

É uma das causas mais importantes de esterilidade ou subfertilidade e de baixa eficiência reprodutiva nas éguas

Processo infeccioso que acomete a camada mais interna do útero, o endométrio, sendo causada por processos não venereos ou transmissão venérea que se instalam pela cobertura com garanhões infectados.

Os agentes etiológicos que mais frequentes na afecção são:

Haemophilus equigenitalis, Klebsiella aerogenes e Pseudomonas

aeruginosa e Proteus, Streptococcus zooepidemicus, Streptococcus equisimillis Staphilococcus aureuse, Candida spp. e Aspergyllus sp.

As éguas podem ter secreção vaginal, o qual depende do grau das lesões e o útero se torna espessado pela inflamação do endométrio.

O diagnóstico é baseado na baixa fertilidade do rebanho e nos sinais clínicos. Exames bacteriológicos podem ser realizados para se confirmas a afecção, pelo material colhido com swabs uterinos. Biopsias uterinas e exames citológicos também são citados na literatura. A ultrassonografia auxilia na avaliação da parede uterina.

O tratamento se baseia no lavado uterino com solução fisiológica aquecida ou infusão de antibióticos para combater o agente causador da afecção.

Aborto

Constitui na expulsão do feto prematuro até o decimo mês de gestação, estando este vivo ou morto.

O aborto se divide em causas infecciosas e não infecciosas

A etiologia do aborto equino está esquematizada na Tabela 1 (ROSSDALE & RICKETTS, 1976, modificado)

 

 

 

Patologias Associadas ao sistema Reprodutor Feminino e Masculino 11
Tabela 1. Etiologia do aborto equino Fonte: ROSSDALE & RICKETTS, 1976, modificado

 

 

Muitas vezes o feto apresenta infecção bacteriana, fúngica ou viral, porem a causa primeira é um fator não infeccioso.

O diagnóstico se baseia no exame físico do feto e seus anexos fetais, na idade gestacional, no histórico reprodutivo, manejo e nutrição, na sorologia e epidemiologia.

 

Texto por: Luísa Lima Nantes de Oliveira, 10 semestre, Universidade Federal de Roraima.

 

Referencias

ROSSDALE, P.D. & RICKE7TS, S.W. (1976) Equine abortion. Yet ADD-16; 133-141.

HAFEZ, E. S. E.; HAFEZ, B. Reprodução animal. 7 ed. Manole: São Paulo, 2004. 513p.

JUFFO, G. D. Causas de aborto, natimortalidade e morte perinatal em equinos diagnosticadas no setor de patologia veterinária da UFRGS de 2000 a 2015. 2016. 47 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pôs Graduação em Ciências Veterinárias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

RADOSTITS, O. M. et al. Veterinary Medicine: a textbook of thediseases of cattle, horses, sheep, pigs and goats. 10. ed. Philadelphia: Elsevier Saunders, 2007. 2156 p.

THOMASSIAN, A. Enfermidade dos cavalos. 2. ed. São Paulo, 1990.

RABELO, R. E. et al. Parafimose em touro com lesão da extremidade livre do pênis como intercorrência da enfermidade acropostite–relato de caso. REVISTA CIENTÍFICA DE MEDICINA VETERINÁRIA, v 13. n 25.  2015.

 

Posts relacionados

Alimentação do Equino Idoso

Redação InfoEquestre

Os cavalos são realmente capazes de distinguir emoções na vocalização das pessoas?

Redação InfoEquestre

Neoplasia de Olho

Redação InfoEquestre

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!