Info Equestre
Revisão de Literatura

Fisiopatologia e Reconhecimento da Dor em Equinos – Revisão de Literatura

Fisiopatologia e Reconhecimento da Dor em Equinos - Revisão de Literatura 1
V.6, Ed.1, N.18(2021)

FISIOPATOLOGIA E RECONHECIMENTO DA DOR EM EQUINOS – REVISÃO DE LITERATURA

 

Physiopathology and pain recognition in horses – Literature Review

GALVÃO, Talissa da Corte

Centro Universitário de Jaguariúna – IBVET Universidade Metropolitana de Santos

 

Resumo: A dor é considerada o quinto sinal vital. Definida como uma experiência sensitiva e emocional desagradável associada a uma lesão tecidual real ou potencial, ou descrita nos termos de tal lesão. É um mecanismo responsável por alterar os mecanismos fisiológicos, comportamentais e emocionais e dos animais, sendo extremamente prejudicial ao bem estar físico e mental.

A dor é classificada em relação temporal (aguda ou crônica), patológica (nociceptiva ou neuropática) e a localização (somática ou visceral). A dor aguda atua como uma forma de proteção do organismo para evitar ou minimizar danos teciduais contribuindo com a sobrevivência do animal.

A dor crônica está relacionada com o sofrimento dos animais, perpetua por longos períodos. A dor nociceptiva faz parte da rotina durante os atendimentos e é decorrente de traumas e processos inflamatórios. A dor neuropática leva ao déficit sensorial.

Os nociceptores são responsáveis pela nocicepção, essa é o componente fisiológico da dor que abrange os processos de transdução, transmissão, modulação e percepção por um estímulo nociceptivo.

As escalas de dor são ferramentas úteis para a identificação da dor em equinos e a avaliação é feita baseada nos comportamentos e expressões faciais. Esta revisão foi elaborada com o objetivo de apresentar a fisiopatogenia e o reconhecimento da dor em equinos no abdômen agudo e no pós- operatório de castração por meio das escalas de dor.

 

Palavras-chave: Neurônio; Dor; Neurotransmissor.

 

Abstract: Pain is considered the fifth vital sign. Defined as an unpleasant sensitive and emotional experience associated with a real or potential tissue injury, or described in terms of that injury. It is a mechanism responsible for changing the physiological, behavioral and emotional and animal mechanisms, being extremely harmful to physical and mental well-being. Pain is classified as temporal (acute or chronic), pathological (nociceptive or neuropathic) and localization (somatic or visceral).

Acute pain acts as a form of protection for the organism to prevent or minimize tissue damage, contributing to the animal’s survival. Chronic pain is related to animal suffering, perpetuating for long periods. Nociceptive pain is part of the routine during consultations and is due to trauma and inflammatory processes. Neuropathic pain leads to sensory deficit.

Nociceptors are responsible for nociception, this is the physiological component of pain that includes the processes of transduction, transmission, modulation and perception by a nociceptive stimulus. Pain scales are useful tools for identifying pain in horses and the assessment is made based on behavior and facial expressions.

This review was prepared with the aim of presenting the pathophysiology and pain recognition in horses in the acute abdomen and in the post-operative period of castration through pain scales.

 

Key words: Neuron; Pain; Neurotransmitters.

PARA CONTINUAR, ASSINE UM PLANO 
Entrar
*
Usuário
O nome de usuário não pode ser deixado em branco.
Please enter valid data.
*
Senha
A senha não pode ser deixada em branco.
Please enter valid data.
Por favor, insira pelo menos 1 caracteres.
Entrar
 
 
 

Posts relacionados

Alternativas Terapêuticas para Tecido de Granulação Exuberante em Equinos

Redação InfoEquestre

Revisão de Literatura: Isoeritrólise Neonatal Equina

Redação InfoEquestre

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Mais

error: Conteúdo protegido !!

ASSINE AGORA

O maior portal técnico Equestre com + de 600 conteúdos disponível com publicações diárias.

Congresso
100% ONLINE
100% Idealizado pela InfoEquestre